b1

Estrelas de minissérie baiana na Netflix contam como surgiu ideia de projeto

Por Redação em 23/05/2022 às 15:24:14
Estrelas da minissérie “Os Deraldos”, na Netflix, os baianos Alan Miranda e Eloá Santiago comentaram detalhes do projeto. Em entrevista ao programa Revele, da Rádio Metropole, os comediantes contaram como aconteceu o convite de um dos maiores streamings do mundo e quais são as inspirações dos episódios, que somam, até então, quase 50 mil visualizações apenas no YouTube e mais de 335 mil no Facebook.

Contando histórias familiares, o produto 100% baiano apresenta esquetes de comédia associando-as a produções da Netflix. São previstos seis episódios, divulgados nos canais da plataforma no YouTube e no Facebook. Já estão no ar três deles: “Viagem no tempo com Os Deraldos”, em alusão ao filme “De volta aos 15”; “Portunhol com Os Deraldos”, relacionado à série “La Casa de Papel”; e “Os Deraldos viraram os Três Guerreiros da Maya”.

“A Netflix me convidou junto com a AFRO.TV, que é um canal de Salvador que trabalha com temáticas ligadas à negritude, para que a gente, como influenciador, dialogasse com os produtos da Netflix”, explica Miranda. De acordo com ele, o streaming o encontrou a partir dos vídeos que já soltava nas redes sociais com Eloá. “O vídeo que fez a Netflix comprar a ideia foi o vídeo "Noia”. Ele tem mais de seis milhões de visualizações tanto no Facebook, quanto no Instagram”, conta.

Os episódios do seriado se passam em um cenário de sala de estar, onde pai e filhos discutem diversos temas. “É um produto para ser consumido por toda a família”, ressalta Alan.  “Eloá é a disrupção, o diferente. Eu trago o conservadorismo, que é de todo pai que está vendo uma menina entrando na adolescência, e ela representa o diferentão”, diz.

O nome “Os Deraldos” é uma referência ao sobrenome da família de Alan, inspiração para a série, e a quem ele homenageia com as produções audiovisuais. “Os Derados é o sobrenome da minha família, 40% apresentaram esquizofrenia. Acho que isso ficou um pouquinho em mim, e acaba refletindo no meu trabalho. Então Os Deraldos é uma homenagem à minha mãe e à minha família, a essa loucura benéfica”, finaliza.

A produção do seriado é composto inteiramente por uma equipe baiana, majoritariamente preta. “É o primeiro projeto assim, da Netflix, com esse nível de qualidade e com essa independência”, avalia Alan.

 

Assista a entrevista completa:

 

Fonte: Metro1

Comunicar erro
b2

Comentários

b3