b1

Após denúncias e TAC, Palmeiras inicia retirada de lixão próximo de conjunto habitacional e quilombo

Por Redação em 05/07/2022 às 15:47:21
O município de Palmeiras, na Chapada Diamantina, iniciou nesta segunda-feira (4) a remoção do lixão a céu aberto que fica a menos de 50 metros das casas dos moradores do Conjunto Habitacional.

Em dezembro do último ano, o Jornal da Metropole dedicou uma matéria à situação degradante da cidade. O lixo se espalhava pelas estradas próximas às "casinhas populares" do Conjunto Habitacional e chegava a ficar no meio da passagem para a comunidade quilombola do Corcovado.

A disposição de resíduos a céu aberto deveria ter sido extinta no Brasil desde 2014, conforme prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada em 2010. No entanto, os prazos foram sendo prorrogados e, mais de uma década depois, os municípios brasileiros ainda mantêm os lixões.

"Desde já agradecemos a todos que apoiaram essa iniciativa da retirada do lixão de dentro das Casinhas Populares. A luta continua. Após retirada do lixão, vamos lutar juntos para o aterro sanitário simplificado, coleta seletiva e revitalização do solo", afirma o líder comunitário Ednaldo Ferreira, conhecido como Índio Gladiador. 

No início de novembro, o Ministério Público da Bahia assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com os gestores de Palmeiras para a retirada do lixão. O município tem um prazo de quatro anos para promover a distribuição final adequada dos resíduos, o que inclui a implementação final do aterro sanitário licenciado, e pressupõe a realização de coleta seletiva, triagem de reciclados, compostagem e a remediação do lixão — tornar a área ambientalmente sustentável de novo.

Fonte: Metro1

Comunicar erro
b2

Comentários

b3